Salas de Recursos Multifuncionais garantem inclusão na Educação de Petrolina

Promover o acesso ao conhecimento e implementar políticas de inclusão são prioridades da Prefeitura de Petrolina, que realiza investimentos de forma permanente na área educacional para que os estudantes com algum tipo de deficiência se integrem às atividades do cotidiano. Entendendo que a inclusão se faz no dia a dia e com equipamentos que estimulam as potencialidades do aluno, além de desenvolver os aspectos em que ele apresenta alguma defasagem, a Rede Municipal de Ensino conta com espaços importantes nas Escolas e Centros Municipais de Educação Infantil: as Salas de Recursos Multifuncionais.

Os espaços seguem as determinações da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (PNEEPEI). Atualmente, Petrolina conta com 1.500 alunos com deficiência, entre as quais, Transtorno do Espectro Autista, deficiência auditiva e visual, síndrome de Down, paralisia cerebral, múltiplas deficiências, entre outras. Porém, nem todos precisam de  atendimento  em Sala de Recurso, pois avançam bem com o trabalho realizado em sala regular.

As aulas nestes equipamentos acontecem sempre no turno contrário ao da turma regular do aluno e dura, em média, de 50 minutos a uma hora. Periodicamente, a atual gestão realiza aquisições de materiais pedagógicos para as Salas de Recursos, que são, em sua maioria, lúdicos e auxiliam os docentes no trabalho com os estudantes. São mesas interativas, quadro magnético, circuitos psicomotores, sacolas criativas, esquema corporal, rotinas para autistas,  kits de desenhos adaptados, tangran, tapete sensorial, entre outros. Nas unidades que não possuem os equipamentos, os estudantes são remanejados para o Centro de Educação Inclusiva de Petrolina (CEIP).

Essas salas fazem toda a diferença na garantia da inclusão daqueles que são atendidos pela Educação Especial nas escolas regulares. É através delas que é desenvolvido o Atendimento Educacional Especializado para identificar, elaborar, organizar recursos pedagógicos e de acessibilidade, que eliminem as barreiras para a plena participação de todos, considerando suas necessidades específicas”, explicou a coordenadora do CEIP, Emiliana Freire. Darcilene dos Santos, que é mãe do aluno com paralisia cerebral, Samuel Lima, do 5º ano da Escola Municipal Eliete Araújo, destaca a importância da sala de recursos, que segundo ela, oferece o auxílio necessário que seu filho precisa. “Esses espaços oferecem todo suporte para Samuel desenvolver suas habilidades e têm contribuído de forma muito positiva no seu processo de aprendizagem”, finalizou Darcilene.

COMPARTILHAR