Recuperação: mais de 100 participantes de projeto social recebem certificados profissionais

Momentos de emoção e superação marcaram a manhã desta quinta-feira (5) com a entrega de certificados profissionais para usuários de álcool e drogas que passam por recuperação em Petrolina. A ação foi possível graças ao projeto ‘Vidas Coletivas’, implantado pela prefeitura em setembro de 2018, através de um convênio com o Governo Federal, que está contribuindo para a ressocialização dos participantes. Além da entrega de certificados, foram distribuídos kits de higiene pessoal.

A entrega aconteceu no Centro de Recuperação Evangélico Livres para Servir (CRELPS) e contou com a presença de assistidos pelos Centro de Atenção Psicossocial (CAPS AD III) ;  Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS); Associação Ágape; Comunidade Boa Nova e Centro Pop. Cerca de 125 pessoas receberam certificados de cursos como Eletricista, Encanador, Cabeleireiro/barbeiro, Manicure, Cozinheiro e Frentista/abastecimento.

Uma das assistidas, Rízia Nascimento, 35 anos, destacou o quanto as capacitações realizadas no CRELPS lhe impulsionaram a crescer e lutar pela vida. “Fico muito grata pelo prefeito desta cidade ter enviado essas pessoas para que pudéssemos participar, mais uma vez , deste evento. Inclusive, lá fora, eu já estava fazendo personalizados com a minha empresa com tudo o que aprendi aqui no CRELPS”, afirmou.

A secretária executiva de Juventude, Direitos Humanos, Mulher e Acessibilidade, Bruna Ruana, reforçou o quanto os cursos e a ressocialização fazem diferença na vida das pessoas. “É com grande alegria que a gente vem aqui mais uma vez para certificar este público, que carece de um olhar sensível como é o do prefeito Miguel Coelho, que pensa, sobretudo nos cuidados com as pessoas, com a vida delas. Muitos se recuperam, saem daqui e começam a trabalhar no ofício aprendido e isso é muito gratificante”, salientou. A executiva ainda deu uma boa notícia: O projeto será estendido até fevereiro de 2020. “O Vidas Coletivas deveria terminar agora, pois o convênio era de um ano, porém, conseguimos prorroga-lo por mais dois meses, por entender que ele faz muito bem na recuperação e aprendizado”, finalizou.

COMPARTILHAR