Agricultores são capacitados sobre uso de palma forrageira para alimentação animal

Com a proposta de incentivar a tecnologia da ‘Sacharina de Palma’, a Prefeitura de Petrolina, promoveu nesta quinta-feira (30), um Dia Especial na Unidade Demonstrativa ‘Terreiros Produtivos’, na fazenda Carretão, comunidade de Atalho, zona rural do município. O evento contou com a participação de mais de 100 pessoas entre, agricultores, técnicos, estudantes e professores que puderam conhecer as técnicas utilizadas por meio da fermentação da palma forrageira.

O evento, coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Agrário, também teve o objetivo de orientar e capacitar os agricultores para o uso de estratégias sustentáveis que possam garantir recursos suficientes para a segurança alimentar dos animais durante os períodos mais críticos de seca.De acordo com o secretário executivo de Desenvolvimento Rural e Irrigação, André Jackson de Holanda, a gestão municipal vem executando vários trabalhos que irão possibilitar uma melhor infraestrutura para os produtores rurais e a ideia multiplicada e colocada em prática só vem beneficiar a todos.

Realizamos com êxito mais um Dia Especial, que auxiliou principalmente os pequenos agricultores na utilização da técnica da ‘Sacharina de Palma’, pois, para quem não conhece, a palma contém até 20% de proteína bruta, tendo cinco vezes o teor verificado em estado natural, a um custo bem menor que os das rações produzidas com milho ou farelo, podendo ser utilizada como alimento o ano inteiro, sem comprometer a saúde do animal”, esclareceu o secretário executivo.

Terreiros Produtivos

O projeto, realizado pela Prefeitura de Petrolina, aproveita ao máximo as águas de poços tubulares para ampliar a produção e renda dos agricultores. A primeira unidade demonstrativa foi inaugurada neste ano e utiliza a água de um poço tubular com vazão de 3.000 litros/hora e irriga, inicialmente, uma área de 0,5 hectares de palma e 0,4 hectares de sorgo forrageiro, além do umbu. Neste trabalho, os agricultores também são orientados a empregar a água salobra de forma correta, técnica e em quantidades pré-estabelecidas nas pequenas plantações de espécies características da região. Além desta, mais unidades demonstrativas serão implantadas pela prefeitura em outras localidades da zona rural.

COMPARTILHAR