Autor: Assessoria

Petrolina tem novembro mais chuvoso nos últimos 30 anos

Desde o último dia 26 de novembro, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) vem registrando índices acumulados de chuva significativos na maioria dos estados do País, inclusive com emissão de alertas de perigo de precipitações intensas até a próxima segunda-feira (5) em algumas regiões do Brasil. Na região Nordeste, sete estados estão sob alerta laranja, […]

01/12/2022 10h50 Atualizado há 2 meses atrás

Desde o último dia 26 de novembro, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) vem registrando índices acumulados de chuva significativos na maioria dos estados do País, inclusive com emissão de alertas de perigo de precipitações intensas até a próxima segunda-feira (5) em algumas regiões do Brasil. Na região Nordeste, sete estados estão sob alerta laranja, o segundo na escala de atenção, entre eles Pernambuco.

Em Petrolina, na região do Sertão do São Francisco, a Defesa Civil tem acompanhado os alertas emitidos e continua orientando a população com relação a prevenção de riscos nos períodos de chuva. No município, segundo dados do órgão, o mês de novembro já é considerado o novembro mais chuvoso dos últimos 30 anos, com uma média entre 190mm e 280mm, o que corresponde a quase 50% da média de chuva anual prevista, que era de 419 mm.

De acordo com o coordenador adjunto da Defesa Civil, Welton Aquino, com o acumulado registrado de forma atípica desde o início do mês de novembro, o órgão tem intensificado o trabalho nas comunidades que apresentam mais riscos de alagamentos. “Petrolina já choveu bem mais do que era esperado no ano, e parte dessa chuva foi somente em um mês e em um grande volume de água. O que para qualquer cidade, o escoamento dessa água se torna um grande problema. Mas desde as primeiras chuvas, toda a equipe da prefeitura, de forma planejada e preventiva, trabalha em algumas áreas para que não venham a sofrer com os alagamentos. Um reconhecimento desse trabalho em equipe é que até o momento não tivemos registros de desabamento e nem de desabrigados”, ressalta Aquino.

A Defesa Civil destaca que mantém atenção à instabilidade climática acompanhando as informações que são repassadas pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC-PE), e orienta que em qualquer situação de anormalidade é necessário  comunicar, imediatamente, o órgão e solicitar  apoio e orientação. O telefone para contato é o (87) 98142-6014, que também é Whatsapp, ou o 156, da Ouvidoria Municipal.


Ao continuar navegando no nosso portal, você concorda com a nossa Política de Privacidade. Para ter mais informações, acesse nossa página de Política de Privacidade