Pastoril: idosos dos Centros de Convivência encantam pacientes oncológicos

Uma quinta-feira emocionante. Essa foi a classificação dos pacientes oncológicos do Hospital Dom Tomás para a apresentação do Pastoril, feita pelos idosos atendidos pelos Centros de Convivência, vinculados à Prefeitura de Petrolina. Além dos pacientes, familiares e funcionários também ficaram encantados com a representação o tradicional folguedo natalino, que comemora a chegada do menino Jesus ao mundo.

Foram 28 idosos, com idade entre 60 e 92 anos, que dançaram, cantaram e representaram personagens como ‘Mestra’, ‘Contra-mestra’, ‘Diana’, ‘Borboletas’, ‘Pastoras’ e ‘Pastores’. O pequeno paciente Gustavo Silva, de 7 anos não escondeu a empolgação e admiração. “Uau! Esses velhinhos cantando e dançando são o máximo! Quero me apresentar igual a eles. Gostei muito das roupas vermelhas e azuis deles”, disse.

Quem também não cabia em si de tanta alegria, era dona Miriam de Britto, 66 anos. Animada, ela era só sorrisos e poses para fotos. “O que mais faz eu me sentir viva é dançar. E desde que estou no CCI Vô Pulú a gente dança, se diverte e ainda apresenta essa dança linda. Estou muito feliz por poder trazer uma distração a essas pessoas que tanto precisam disso aqui no hospital”, afirma.

“O pastoril é uma tradição e muitos dos idosos lembram da sua época de infância. A ideia de fazer uma apresentação assim foi justamente devido a vontade de saudar a chegada do Natal, além de espalhar alegria e esperança. Os idosos ficam felizes e as pessoas que assistem também”, explica a secretária executiva de Atenção à Pessoa Idosa, Ana Carolina Freitas.

O gerente administrativo do Hospital Dom Thomás, Antônio Dion, agradeceu aos idosos pela bela apresentação. “Natal é justamente o momento de solidariedade, de amor ao próximo, de espalhar a mensagem do nascimento de Jesus ao mundo. E todas essas pessoas que estão aqui em tratamento de câncer procuram justamente isso: renascer, nascer novamente. A vinda de idosos com tanta vivacidade demonstra que todo mundo pode e deve ter esperança”, finalizou.

COMPARTILHAR