Mesmo com pandemia, prefeitura reforça luta pelas pessoas com lúpus

Maio é o mês dedicado à conscientização sobre lúpus e, juntamente com a campanha “Maio Roxo”, é uma oportunidade para disseminar conhecimento sobre sintomas, diagnóstico e tratamento da doença. Por isso, mesmo diante da pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura de Petrolina reforça que a conscientização da sociedade é fundamental para levar a um melhor entendimento da doença. Além disso, é preciso alertar para a importância do diagnóstico precoce.

Pensando em fortalecer esta campanha no município, a Secretaria Municipal de Saúde em parceria com a Associação de Amigos e Pessoas com Lúpus do Vale do São Francisco realizará no dia 15 de maio, às 16h, um encontro virtual com todos os profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e o reumatologista da Policlínica Municipal, Willian Basílio, a fim de fornecer informações sobre a doença autoimune e qualificá-los para o atendimento à pessoa com lúpus.

O lúpus é uma doença autoimune, complexa e de difícil diagnóstico. Pode atingir vários órgãos, incluindo pele, articulações, rins, pulmões e coração. O lúpus está relacionado à predisposição genética e pode ser desencadeado por fatores hormonais e ambientais, tais como: luz solar, infecções e alguns medicamentos. Os sintomas podem surgir isoladamente ou em conjunto, variando conforme o tipo de lúpus. Os mais frequentes são: fadiga (cansaço frequente), dor nas articulações das mãos, punhos, joelhos e pés Inchaço nas mãos, pés ou ao redor dos olhos.

Diagnóstico

Ainda não existe um exame específico para o diagnóstico da doença, sendo necessários exames laboratoriais, de imagem e análise do histórico médico da pessoa e familiares. O diagnóstico não é instantâneo, interferindo no sucesso do tratamento, uma vez que a doença apresenta sintomas semelhantes a outras infecções, como rubéola ou mononucleose. O profissional da saúde responsável pelo acompanhamento e tratamento do lúpus é o médico reumatologista, mas como se trata de uma doença que pode afetar vários órgãos do corpo, médicos de outras especialidades, como cardiologistas e ortopedistas, também podem fazer parte da equipe.

COMPARTILHAR