Libras: Inclusão em escolas de Petrolina é destaque no ensino

Quando se trata de inclusão e integração social, a surdez não tem sido barreira na Rede Municipal de Petrolina, que oferta atendimento educacional especializado aos alunos surdos ou com deficiência auditiva. As unidades escolares disponibilizam intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras), nas salas de aula com estudantes com essa deficiência e esses profissionais fazem o acompanhamento diário do discente. Passando pela Matemática até chegar à disciplina de Ciências, eles atuam estabelecendo uma relação de confiança com o aluno e o professor.

Durante as aulas, os professores contextualizam o conteúdo para toda a classe e, simultaneamente, os intérpretes traduzem o assunto para o aluno com surdez. Hoje o município conta com 24 alunos surdos que são atendidos em duas frentes: no acompanhamento e interpretação em sala de aulas regular; e no atendimento e atividades complementares nas Salas de Recursos Multifuncionais, no contraturno escolar. Existe também o ensino de Libras dentro das turmas regulares, ou seja, para aqueles que têm esse estímulo e interação com a professora regular e a professora intérprete mediando.

A inclusão tem grande importância, por isso, é necessário assegurar um atendimento adequado nas unidades para os estudantes com deficiência auditiva, viabilizando o acesso aos conteúdos curriculares.  Ter um profissional ativo auxilia no futuro desse aluno e ampara muitas famílias que possuem pouco conhecimento em Libras. Observamos também, que através desse trabalho, alunos que chegaram totalmente dependentes, estão hoje com mais autonomia. A inclusão só acontece de fato quando a gente percebe que o aluno surdo consegue se virar no recreio ou em sala de aula, mesmo com a presença da intérprete”, afirmou a coordenadora do Centro de Educação Inclusiva de Petrolina (CEIP), Emiliana Freire.

O intérprete e o instrutor de Libras é, para a pessoa surda, um verdadeiro elo de comunicação com o mundo. “A Libras me ajuda a aprender e a me desenvolver, além de poder fazer novas amizades na Escola”, disse em Libras o aluno do 6° ano da Escola Municipal Eliete Araújo, Matheus Gomes, revelando que adora matemática.

COMPARTILHAR