Famílias começam a receber os títulos de posse das casas dos residenciais Nova Vida I e II em Petrolina

Foi com muita dedicação e movidos pela missão de levar dignidade aos moradores dos residenciais Nova Vida I e II, zona oeste da cidade que as equipes da Prefeitura de Petrolina começaram a entrega dos documentos aos beneficiários do programa ‘Minha Casa Minha Vida’ (MCMV). Cerca de 13 servidores da Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Mobilidade (SEINFRAHM) e dois da Caixa Econômica Federal visitaram as ruas Brasileirinho, Ipê Amarelo e Espirradeira na noite desta terça-feira (17).

Dona Luzinete Francisca de Souza Modesto, de 51 anos, foi a primeira a receber o documento e não escondeu a felicidade. “Estou muito feliz, era o meu sonho ter minha casinha, sofri muito, batalhei muito e graças à Deus consegui. Só tenho a agradecer”, comemorou a dona de casa. Algumas casas depois, na Rua Brasileirinho, foi a vez de Maria dos Remédios Souza, de 39 anos, receber o título de posse da casa onde mora com o esposo e dois filhos. “Esperei por esse momento por seis anos e agora sabendo que é meu, é uma maravilha, o coração fica acelerado”, revela.

De acordo com o secretário-executivo de Habitação, César Durando, que acompanhou pessoalmente o início das atividades, o momento é importante e de muito trabalho. “Nossa equipe sabe que o serviço está apenas começando e por isso foi elaborado um cronograma com muito carinho para que todos saibam a data certa que vão receber os documentos. É um momento especial em que o prefeito Miguel Coelho conta com todos nós para levar dignidade para as famílias que moram aqui”, destaca Durando.

CRONOGRAMA

Nesta quarta-feira (18) as equipes da SEINFRAHM vão visitar as ruas Figueira, Carnaubeira, Leucena e Cássia Amarela. Na quinta-feira (19) as visitas seguem nas ruas Jasmim Manga, Algodão da Praia, Flamboyant e Caraibeira. O trabalho será concluído na sexta-feira (20) nas ruas Angelim, Sombreiro, Munguba, Cássia Rosa, Sibipiruna e Urucum. A SEINFRAHM lembra que o título de posse é um documento equivalente à escritura e que atesta a propriedade do imóvel pelo beneficiário do MCMV. Mesmo com o documento, a venda, locação, empréstimo, cessão e situações similares seguem proibidas de acordo com as regras do programa.

 

COMPARTILHAR