Espaço público voltado para recreação animal é um dos principais atrativos da Porta do Rio

Agora Petrolina conta com uma opção gratuita para mudar a rotina de recreação dos filhos de quatro patas: um banco de areia e obstáculos que, sem dúvidas, proporcionam uma diversão e tanto para os animais de estimação. Esses equipamentos estão instalados na nova Porta do Rio – Projeto Urbanístico feito pela Prefeitura Municipal em parceria com a iniciativa privada. O Pet Park já se tornou um dos principais atrativos do local.

Shirley Eliane de Sá é servidora pública e passa grande parte do dia fora de casa, quando volta faz questão de passear com o Guto – cachorrinho que adotou há 8 meses. Eles já têm destino certo: “Desde que ele tomou todas as vacinas e foi autorizado pelo veterinário, todos os dias trago ele para a Porta do Rio. Petrolina precisava de um local como este, está sendo maravilhoso para o Guto gastar muita energia”, contou.

A servidora pública também dá exemplo, quando leva o cachorro para passear não esquece de pegar uma sacolinha plástica para coletar a sujeira que o Guto pode fazer. Inclusive, essa é uma das exigências para a boa convivência no Pet Park. “Esse tipo de espaço traz inúmeros benefícios aos animais e seus respectivos tutores, tanto pelo exercício, quanto pela socialização. Mas é importante ter alguns cuidados para proteger a saúde do animal, como estar com as vacinas atualizadas e vermifugado, por exemplo”, explica Graziella Vasconcelos, veterinária e coordenadora do Centro de controle de Zoonoses de Petrolina.

O Pet Park público é um espaço pioneiro em Petrolina. Segundo o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Giovanni Costa, o Projeto Urbanístico da Porta do Rio foi proposto para incluir toda a família. “São diversas ilhas voltadas para públicos de todas as idades, durante o desenvolvimento do projeto houve a sensibilidade de entender que os animais de companhia são parte da família. O sucesso do Pet Park mostra que a população aprovou a ideia e que o município estava precisando de um espaço como este”, conclui.

COMPARTILHAR