Em Alvorada, Philarmônica 21 de Setembro anuncia os 124 anos de Petrolina

Antes mesmo do sol raiar, a Philarmônica 21 de Setembro já saía pelas ruas de Petrolina anunciando os 124 anos da cidade, neste sábado (21). Seguindo a tradição, a alvorada realizada pela orquestra partiu às 5h30, da Praça 21 de Setembro rumo às principais ruas do centro histórico de Petrolina.

Durante cortejo pela Petrolina Antiga, alguns moradores abriram suas janelas dando às boas vindas e reverenciando a banda que trazia a representatividade da data festiva. O som que ecoava pelas ruas também foi acompanhado por dezenas de petrolinenses que acordaram cedo e não perderam tempo para iniciar as comemorações do aniversário de Petrolina.

Sob a regência do maestro Hélio Lima, a orquestra também fez uma parada já tradicional na residência do maestro, Fernando Rego, que recebeu os músicos e agradeceu com emoção o prestígio da orquestra. “Muito obrigado a todos pelo carinho cada ano é um orgulho para mim prestigiar esse momento que é muito especial”, disse.

O secretário executivo de Cultura, Cássio Lucena, acompanhou o percurso e destacou a importância cultural da alvorada no aniversário de Petrolina. “Alvorecer passeando pelo centro histórico de Petrolina escutando a instituição cultural mais tradicional do Sertão é você se revisitar. Uma história de uma cidade que não se nega em crescer mais que também está tendo muito cuidado em revisitar o passado. Isso é emocionante”, disse.

Além do aniversário da cidade, a Orquestra Philarmônica 21 de Setembro tem um motivo a mais para festejar: a banda tradicional de Petrolina completa 109 anos de existência. Fundada em 1910 por Juvêncio Rodrigues Coelho, a Philarmônica 21 de Setembro foi regida inicialmente pelo maestro Ciciliano Carvalho e contou com a colaboração de figuras ilustres como a petrolinense, Adelaide Ribeiro, o  literato Cid Carvalho, entre outros.

COMPARTILHAR