Educação de Petrolina avança e se destaca em Índice de Desenvolvimento de Pernambuco

Mais um avanço da Educação de Petrolina foi conquistado. O mais novo reconhecimento foram os resultados das escolas municipais no Índice de Desenvolvimento da Educação de Pernambuco (IDEPE) do ano de 2017.
Nesta quinta-feira (2), em evento realizado na Gerência Regional de Educação (GRE), Petrolina foi homenageada com 1º lugar regional para a escola Manoel Januário Rodrigues, localizada no distrito de Rajada. A unidade obteve nota de 7,13 na avaliação dos alunos do 5º ano e está em 31º no ranking estadual.
Já na avaliação do 9º ano, regionalmente, Petrolina também foi destaque. As escolas da zona rural José Fernandes Coelho, no Roçado, e Dr. José Araújo, no Rio Jardim, obtiveram o 2º e 3º lugar, respectivamente.
Outra posição que foi bastante comemorada pela Rede foi a nota geral de Petrolina no IDEPE. Com 5,52, a cidade superou a média do Estado entre todas as escolas de Rede estadual (3,98) e municipal (5,08) no 5º ano. Na avaliação do 9º também não foi diferente: Petrolina obteve 4,5, continuando à frente de toda Rede mantida pelo governo do estado (4,22) e todas as escolas municipais de Pernambuco (4,17).
“Com trabalho, compromisso e investimentos, Petrolina está avançando e conquistando importantes resultados. A orientação do prefeito Miguel Coelho é manter nosso foco em oferecer uma educação de qualidade que transformem vidas, aliado ao belo trabalho politico pedagógico que estamos desenvolvendo em parceria com professores, gestores e coordenadores. Essa comemoração é de todos”, pontuou Sônia Passos, secretária executiva de Redes.
IDEPE – Os resultados do IDEPE são calculados com base no Sistema de Avaliação da Educação Básica de Pernambuco (SAEPE), que mede anualmente o grau de domínio dos estudantes nas habilidades e competências consideradas essenciais em cada período de escolaridade avaliado, além de ser uma importante ferramenta para a gestão escolar. Realizado anualmente, o ranking acompanha o desempenho da educação pública e considera dois critérios, os mesmos usados para o cálculo do índice nacional (IDEB). São eles: fluxo escolar e proficiência SOS estudantes do Ensino Fundamental (anos iniciais e finais).
COMPARTILHAR