CRO reconhece e certifica trabalho da prefeitura no atendimento odontológico durante pandemia

O Conselho Regional de Odontologia de Pernambuco (CRO-PE) reconheceu o excelente trabalho que a Prefeitura de Petrolina tem realizado no sentido de oferecer as melhores condições aos seus colaboradores, principalmente nesse período de pandemia. Recentemente, em mais uma visita surpresa, os fiscais estiveram nas unidades de saúde que os profissionais atuam com o devido reforço de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Como a covid-19 se propaga via gotículas respiratórias, os profissionais dentistas estão no topo da classificação de risco de contaminação pela doença, por isso tiveram que acrescentar novas medidas de prevenção e controle de contágio nos atendimentos odontológicos. Isso inclui protetor facial, óculos de proteção, avental descartável, luvas descartáveis/cirúrgicas, gorros, máscaras N95 e máscaras cirúrgicas. Essa atenção maior também visa proteger e manter a segurança dos pacientes.

Atendimento

Atendendo às recomendações do Conselho Federal de Odontologia (CFO) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o atendimento eletivo (quando não é urgente) está suspenso em todos os consultórios odontológicos localizados nos postos de saúde, focando atendimento apenas nas urgências e emergências. Porém, os profissionais permanecem nas suas unidades realizando acolhimento, orientação, identificação dos casos urgentes e fazendo a referência para os dois Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) do município. Os centros também estão com todos os EPIs de acordo com as normativas para os procedimentos de urgência – com uso de aerossol, procedimento que faz com que a saliva do paciente seja expulsa.

Durante esse período estão suspensos tratamentos com finalidade estética, procedimentos ortodônticos que não envolvam traumas, restauração de dentes assintomáticos, entre outros procedimentos não urgentes. Segundo a recomendação do CFO, casos de emergências odontológicas são situações que potencializam o risco de morte. Por exemplo, o abscesso dentário (bolsa em um dente causada por infecção). Já as urgências, são situações que determinam prioridade no atendimento, mas não potencializam risco de morte. Como, cáries, traumatismo e inflamações.

COMPARTILHAR