Casa de Cambraia ‘Dona Maria e Zé Miúdo’ é uma opção gastronômica em Petrolina

Doces, farofas, bolinhos, sorvetes e até o tradicional beiju. A tapioca é um dos ingredientes mais versáteis da cozinha pernambucana. Extraída da mandioca e também conhecida como goma seca, polvilho ou polvilho doce, a iguaria resgata as origens da culinária brasileira. Hoje, ela é inspiração para pratos variados, que reinventam desde a cozinha prática até receitas mais sofisticadas.

A arte de transformar ingredientes tradicionais e criar novos sabores é colocada em prática na Casa de Cambraia ‘Dona Maria e Zé Miúdo’. Essa é uma ótima opção gastronômica que funciona há 26 anos, no bairro Jardim Amazonas, em Petrolina. O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Flávio Guimarães, acompanhado da diretora de Turismo, Thaís Farias, estiveram visitando o local, que passará por uma requalificação em toda sua estrutura.

De acordo com Marta Maria, diariamente são comercializados em média de 3 mil iguarias. “Há muitos anos que esperávamos essa noticia da requalificação. Estamos muito felizes e agradecidas ao prefeito de querer proporcionar melhores condições de trabalho. Temos a certeza que ficará um local belíssimo”, pontuou Marta, que retira o sustento de sua família dos produtos vendidos na Casa de Cambraia.

A Casa de Cambraia, atualmente, produz e comercializa produtos como: cambraia (beijuzinho seco), cambraias temperadas (orégano, alho, cebola, cenoura, couve e beterraba), beiju (tapioca) e o sequilho doce. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, e ao sábado de 8h às 12h.

COMPARTILHAR