Após encontro, propostas para educação no semiárido serão enviadas ao MEC

Após dois dias de troca de experiências e debates sobre o desenvolvimento de nova proposta de educação para o semiárido brasileiro, educadores, gestores públicos e sociedade civil que participaram do “II Encontro Semiárido e Educação” levantaram uma série de sugestões para contribuir com a nova educação no Nordeste. O conteúdo foi organizado em forma de documento propositivo, que será encaminhado ao Ministério da Educação (MEC) com observações e considerações sobre o tema.

Entre as propostas, a continuidade do processo de formação que já está em curso, o princípio da educação integral e integrada, o fortalecimento do diálogo entre escola e comunidade, a implementação da comunicação não violenta com base na justiça restaurativa, saúde bem estar do docente, entre outros.

O encontro foi realizado pela Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) em parceria com a Rede de Educação do Semiárido (Resab) e a Prefeitura de Petrolina, entre os dias 24 e 25 de outubro, em Petrolina e contou com a presença de mais de 300 pessoas de diversas capitais do nordeste e do Norte de Minas Gerais.

Para Rosângela Castro, coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes de Petrolina esse foi um momento ímpar para cenário educacional do semiárido brasileiro. “Apresentamos sugestões para uma educação no Semiárido no campo da gestão, do currículo, da formação, gênero entre outras com o objetivo de dialogarmos com o MEC para consolidação da proposta de Educação Contextualizada. O saldo pós-evento é muito positivo e sinto que todas as nossas expectativas foram superadas“, afirma.

Foto: Divulgação PMP

COMPARTILHAR