Ilhas e Arquipélagos


O início da sua construção foi em  1858,  em  estilo barroco,  porém,  só  foi  concluída em 1906. Sua  fachada  possui decorações austeras, tem três portas que acessam  à nave.  Seu  frontão  é  triangular,  Seu interior  composto  por uma nave e dois corredores, capela-mor, e sacristias laterais.  A  nave  central,  mais  elevada,  é  ladeada   por  galerias. Tem um bom acervo  de  imagens  de  madeira  e  de  gesso.  A  imagem  de  Nossa  Senhora  Rainha  dos  Anjos,  esculpida em  madeira,  veio  da  Ilha   da  Madeira há mais  de  200  anos,   e  foi   uma  doação   do  município  de  Santa Maria  da  Boa Vista.

Há três nichos em arco em cada corredor (São Francisco, Santa Mônica, Bom Jesus Ressuscitado e um Senhor Morto), no outro corredor há uma imagem de São Jorge e Bom Jesus dos Passos. Ladeando a capela-mor existem dois nichos (Sagrado Coração de Jesus), no final do corredor a direita há uma capela do Santíssimo Sacramento.  Pode ser visitada diariamente de 08:00 às 12:00h. e das 14:30 às 17:00.

Tem missa de segunda à sexta às 17:00, sábado às 19:30 e domingo às 07:30h.  Situada em rua residencial, ao lado da Praça Centenário.  A sua frente  uma   escola  pública  e  prédios  residenciais.
Mais informações: (87) 3861-4288, Praça do Centenário, s/n - Centro


Na Ilha do Massangano, (Onde, segundo alguns estudiosos, nasceu o samba), a diversão dos mestres do Samba de Véio é apenas parte da manifestação cultural deste pedaço de terra dentro do São Francisco, que também é palco para outras tradições arraigadas no povo deste lugar, como os festejos dos Santos Reis em janeiro e dia de Santo Antônio 13 de junho. Um passeio também cheio de mistério, fé e sincretismo religioso.
Estrada da Tapera até chegar no ponto de Travessia do Almizão


Situada no centro do leito do Rio São Francisco, próxima à Ilha do Massangano. Apresenta morfologia plana e vegetação rasteira com árvores e arbustos espaçados. Sua praia é formada por areias finas e douradas, aparecendo ao seu largo, no leito do rio, trechos com afloramentos rochosos. Existe possibilidade de ancoragem para pequenas e médias embarcações. Há grande concentração de palhoças em que funcionam bares e pequenos restaurantes (pratos à base de peixes do Rio São Francisco), alguns utilizados como residências.  Dispõe de energia elétrica, telefone, áreas para banho e travessia de barco 24 horas. Atualmente encontra-se em regular estado de preservação. O local é bastante visitado por petrolinenses e juazeirenses, inclusive ocorrendo shows nos finais de semana e  períodos de grandes eventos na cidade.

No final de 2007 iniciou-se um projeto de implantação de bares em alvenaria, substituindo-se as antigas barracas cadastradas pela prefeitura, procurando-se melhorar a estrutura existente.


Situadas no leito do Rio São Francisco, tendo à sua margem direita o município de Juazeiro (BA) e à margem esquerda o município de Petrolina, estão as ilhotas: de Nossa Senhora, Jatobá, Culpe o Vento, Urubu e das Pedrinhas. Na sua maioria apresentam morfologia plana e ondulada. Predomina a vegetação rasteira, com ocorrência de árvores e arbustos espaçados. A exceção da Ilha do Urubu, todas possuem trechos de praias propícias para banho, com areias finas e douradas. As ilhotas Jatobá e Culpe o Vento apresentam pequenas lagoas em seu interior. Possibilidade de ancoragem natural para pequenas embarcações.

Existem ainda duas ilhas, apresentando fisiografia similar as das restantes. Essas ilhotas apresentam-se em razoável estado de preservação, com ocorrência de alguns trechos de erosão fluvial.


Situadas no leito do Rio São Francisco, tendo à sua margem direita o município de Juazeiro (BA) e à margem esquerda o município de Petrolina, estão as ilhotas: do Camaleão, Massangano, Lagoa, Panta, Amélia, Onofre ou São Gonçalo, do Coqueiro, Caatinguinha, Tapera, Barra e Foguetão. Na sua maioria apresentam morfologia plana ou ondulada, à exceção da Ilha do Foguetão, esta de morfologia quebrada.Vegetação predominantemente rasteira, algumas apresentando árvores e arbustos espaçados. À exceção das ilhotas do Coqueiro e da Lagoa, todas as outras apresentam pequenos trechos de praias propícias para banho, com areias finas e douradas. Presença de coroas e bancos de areia na Ilhota Amélia e bancos de areia na ilhota do Camaleão. Possibilidade de ancoragem natural para pequenas embarcações. Atualmente apresentam pequenas ou nenhuma ocupação humana, sendo algumas utilizadas para plantio e criação extensiva. Essas ilhas apresentam-se em razoável estado de preservação aparecendo alguns trechos de erosão fluvial.