Após espera de uma década, Cristália e Nova Descoberta ganham novas ambulâncias

Por dez anos, duas comunidades vivenciaram um cenário parecido de abandono na assistência em saúde básica. Os moradores de Cristália e Nova Descoberta, na zona rural de Petrolina, lutaram por uma década para terem uma ambulância à disposição num momento de emergência. Somente nesta quarta-feira (09), a espera chegou ao fim, quando o prefeito Miguel Coelho entregou dois veículos novos para atender com exclusividade as duas comunidades interioranas.

As ambulâncias fazem parte da nova frota de 14 viaturas adquiridas pela Prefeitura de Petrolina e foram recebidas com festa por ambas localidades. A justificativa para a comemoração, segundo  os moradores, se baseia nas dificuldades que serão reduzidas com os dois veículos, agilizando o atendimento tanto para Cristália, situada a mais de 70 km do Centro de Petrolina, como em Nova Descoberta, distante quase 40 km da área urbana.
Na solenidade de entrega, o prefeito Miguel Coelho ressaltou a necessidade de priorizar o interior e aproximar o serviço médico e odontológico das comunidades mais afastadas. “Quando assumi o governo, a ambulância mais nova tinha mais de 260 mil km rodados. Vários postos de saúde estavam fechados no interior e faltavam médicos e dentistas. Eu sei que muita coisa ainda precisa ser feita, mas as pessoas, principalmente no interior e nas comunidades, sabem que agora existe um compromisso de levar a saúde para perto de quem estava abandonado e garanto que muito mais vai ser feito para superar o enorme desafio que encontramos na saúde pública”, garantiu o prefeito.
Para a compra das 13 ambulâncias e uma van que atenderão a área urbana e zona rural, foi investido R$ 1,3 milhão, verba proveniente de emenda parlamentar do deputado Fernando Filho, presente também nas entregas em Cristália e Nova Descoberta. Os equipamentos integram a plataforma de ações “Petrolina Cuida”, iniciativa que ainda promoveu mutirões para milhares de cirurgias e exames, abertura de 10 postos de saúde entre outras medidas apenas nos últimos oito meses.
COMPARTILHAR